Domingo, 20 de Setembro de 2020 -

É temporário e quer ficar na empresa? Aprenda e aja como se fosse efetivo

Publicado em: 12/12/2014
Divulgação

Divulgação

A chegada do 13º salário ao bolso engorda os planos de fim de ano dos brasileiros. Para muitos trabalhadores, ela representa também oportunidades de emprego, já que as empresas contratam temporários para dar conta do aumento na demanda por produtos e serviços.

“O trabalho temporário é uma boa opção não só para quem está desempregado, mas também para quem está começando a carreira ou quer mudar de área”, diz Marcelo Braga, sócio da empresa de recrutamento Search. Com a experiência, esses profissionais podem descobrir se gostam da empresa, da função e da nova área.

Empresas devem efetivar 5% dos trabalhadores temporários

Depois que os trabalhadores gastam o 13º salário, o ritmo de consumo cai e os contratos temporários terminam. Uma parte dos empregados, porém, é efetivada e continua nas empresas.

Dos 163,6 mil trabalhadores temporários que devem ser contratados até o final do ano, 5% serão efetivados, de acordo com levantamento divulgado pelo Sindeprestem (Sindicato das Empresas de Prestação de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporário do Estado de São Paulo) e pela Fenaserhtt (Federação Nacional dos Sindicatos de Empresas de RH, Trabalho Temporário e Terceirizado).

A estimativa é pessimista com relação a 2013. No final do ano passado, foram contratados 162 mil temporários e 12% deles permaneceram nas empresas.

“A primeira condição para ser efetivado, claro, é a situação econômica da empresa”, afirma o presidente do Sindeprestem, Vander Morales. “Quando ela não tem perspectiva de crescimento, não aumenta seu quadro de funcionários.”

Se existir a possibilidade de contratação, o comportamento do funcionário temporário será determinante para ele conseguir ou não a vaga, de acordo com Braga, Morales e com o diretor jurídico da Asserttem (Associação Brasileira do Trabalho Temporário), Marcos Abreu.

Em entrevistas ao UOL, os três deram dicas sobre como agir para conseguir passar de funcionário temporário a efetivo.

Veja 5 dicas para ser efetivado em vaga temporária
  •  Trabalhe como se já fosse efetivo
    “Não espere receber um sinal de que a sua vaga pode ser efetivada para dar um ‘gás’ no trabalho”, diz Marcelo Braga, sócio da empresa de recrutamento Search. Aja como se fosse um funcionário da empresa desde o primeiro dia – você não tem nada a perder
  •  Mostre vontade de aprender
    “Em geral, os requisitos para preencher vagas temporárias não são muito exigentes”, diz Marcos Abreu, diretor jurídico da Asserttem (Associação Brasileira do Trabalho Temporário). “Por isso mais importante do que ser qualificado é estar disposto a aprender”
  •  Não tenha vergonha de dar sugestões
    “Tenha a iniciativa de sugerir soluções para problemas do dia a dia”, diz Vander Morales, presidente do Sindeprestem. Seu chefe vai notar se você estiver se esforçando para participar no cotidiano da empresa
  •  Observe os funcionários contratados
    O contrato temporário dura três meses, podendo ser prorrogado por mais três meses. É um tempo curto para aprender sobre os processos e a cultura da empresa. Para facilitar, “observe o que os funcionários contratados fazem, já que eles têm mais tempo de casa que você”, diz Abreu
  •  Diga ao seu chefe que quer ser contratado
    “Se quer ficar na empresa empresa, procure a sua chefia imediata e diga que gostaria de concorrer a uma vaga permanente”, diz Abreu. As companhias preferem contratar quem manifesta interesse por elas

Fonte: Marcelo Braga, sócio da empresa de recrutamento Search, Marcos Abreu, com o diretor jurídico da Asserttem, e Vander Morales, presidente do Sindeprestem

 Fonte: UOL