Domingo, 24 de Janeiro de 2021 -

A questão da juventude comerciária

Publicado em: 22/09/2010
Patricia Andrade

Patricia Andrade

Nesta quarta-feira, dia 22 de setembro, é comemorado no Brasil o Dia da Juventude. Embora o comércio seja a porta de entrada dos jovens ao mercado de trabalho, a Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio e Serviços (Contracs-CUT) destaca o baixo índice de sindicalização de jovens em relação à outras faixas etárias.

De acordo com o Dieese, em 2008, 25% dos ocupados no setor tinham entre 16 e 24 anos. Entre os fatores de atração dos jovens ao mercado de trabalho no setor do comércio está a possibilidade de inserção em inúmeras funções não especializadas e de baixa remuneração que não requerem qualificação ou experiência anterior.

A importância do trabalho dos jovens é sentida também na renda familiar. Entre 28,5% e 34,6% dos comerciários jovens complementam a renda familiar com seus salários.

Apesar disso, a remuneração dos jovens era baixa e variava, em 2008, entre R$ 429 e R$ 653. O rendimento dos jovens é equivalente a menos de 70% do rendimento dos adultos com 25 anos e mais.

Estudo X jornada de trabalho

Embora se destaque como ponto positivo a maior proporção de trabalhadores com carteira assinada estar entre os jovens, a jornada de trabalho é a grande responsável por impedir o acesso aos estudos.

Mais de 70% da juventude comerciária não estudava em 2008 e as jornadas de trabalho estavam fixadas entre 44 e 48 horas semanais – ultrapassando a jornada semanal legal brasileira.

Portanto, a Contracs apoia projetos que proponham a redução da jornada para os jovens sem a redução de direitos.

Também em busca da alteração destes e outros cenários que prejudiquem profissionalmente e pessoalmente os jovens do comércio e do serviços, a Contracs busca dar continuidade ao trabalho de organização já iniciado que incentiva a organização de secretarias, coletivos ou departamentos juvenis nos sindicatos, procurando afirmar um espaço próprio para a juventude, baseado no desenvolvimento de suas lutas e a partir de suas principais reivindicações e anseios.

A Contracs também incentiva a promoção de jovens à diretoria dos sindicatos.

Escrito por Adriana Franco – CONTRACS/CUT