Domingo, 29 de Novembro de 2020 -

Artigo: 1º de maio: uma data marcada por uma história de garra

Publicado em: 28/04/2014

thumb-77

Muito mais do que uma simples homenagem, o 1º de Maio, Dia do Trabalhador, é marcado por lutas em busca de melhorias e direitos em vários países do mundo, além de ser uma data para lembrar dos operários de Chicago, assassinados por reivindicar a diminuição da jornada de trabalho.

O Dia do Trabalhador é o momento de reforçarmos nossa consciência social e nossa história traçada sempre para e ao lado da classe trabalhadora. Para tanto, devemos relembrar da história que deu origem ao feriado: a história de milhares de trabalhadores de Chicago que foram às ruas reivindicar melhorias.

No dia 1º de maio de 1886, em Chicago, Estados Unidos, milhares de trabalhadores foram às ruas protestar contra as condições de trabalho a que eram submetidos na época. Por exemplo, a jornada de trabalho, que girava em torno de 14 horas diárias. No mesmo dia, uma greve geral paralisou os Estados Unidos. No dia 3, os trabalhadores se envolveram em um conflito com policiais, que os reprimiram violentamente. Os confrontos intensificaram-se e resultaram na morte de vários manifestantes.

Após os acontecimentos, o Dia do Trabalhador foi estabelecido como feriado pela Segunda Internacional Socialista, que reuniu partidos e sindicatos de toda Europa, em junho de 1889.

No Brasil, o então presidente Artur Bernardes decretou a data como feriado, em 1924. A partir do governo de Getúlio Vargas, o dia 1º de maio foi marcado por importantes conquistas aos trabalhadores. Em 1940, Vargas instituiu o salário mínimo. Um ano depois, foi criada a Justiça do Trabalho para resolver questões judiciais relacionadas aos direitos trabalhistas.

Ao lado dos brasileiros comerciários, nosso Sindicato, o Secor, continua lutando por reconhecimento, valorização e justiça para a classe trabalhadora. Em 2013, demos um grande passo na conquista por mais direitos. Em abril, a presidente Dilma Rousseff sancionava a Lei 12.790/13 que regulamenta a profissão do comerciário. Entre muitos outros direitos, a lei assegura ao trabalhador a obrigatoriedade de especificação da profissão na carteira de Trabalho e Previdência Social e determina jornada de 8 horas diárias e 44 semanais. Além disso, 30 de outubro foi instituído como Dia do Comerciário.

Nesse 1º de maio, o Sindicato continua na luta por políticas que gerem empregos de qualidade ao comerciário, além de garantias para toda classe trabalhadora. Em 2014, estamos mais uma vez ao lado da nossa central sindical, a CUT (Central Única dos Trabalhadores), lutando pela democratização da informação.

José Pereira da Silva Neto

Presidente do Sindicato dos Comerciários de Osasco e Região (Secor)