Sexta-Feira, 18 de Setembro de 2020 -

Artigo: Mulheres ainda precisam lutar por espaço e igualdade na sociedade

Publicado em: 25/08/2015
Assessoria/Secor

Assessoria/Secor

Nesta quarta-feira, 26 de agosto, comemoramos o Dia Internacional da Igualdade Feminina, que tem como objetivo conscientizar a população sobre o valor da mulher e chamar atenção para todas as formas de discriminação que o gênero ainda sofre, como desigualdade de salário, violência física e assédio sexual. No entanto, mais do que chamar atenção aos problemas, o Dia também relembra momentos importantes das lutas das mulheres em busca de condições de igualdade em relação aos homens no âmbito pessoal, profissional e social.

No Brasil, de acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), entre 1940 e 1990, as mulheres que trabalhavam passaram de 2,8 milhões para 22,8 milhões, ou seja, a população ativa de mulheres era de 35% na década de 40 e passou para 74% em 90, cinquenta anos depois, e já se concentravam em atividades na saúde, educação, serviços comunitários e domésticos.

Mesmo com esse avanço, ainda hoje, vemos diferenças entre mulheres e homens, principalmente no trabalho. De acordo com o Fórum Econômico Mundial, apenas em 2095 veremos a igualdade entre os gêneros no mercado de trabalho. Ainda segundo o Fórum, entre 142 países, o Brasil está na posição 124 no ranking de igualdade de salários.

No entanto, não é apenas no mercado de trabalho que as mulheres são discriminadas e desrespeitadas. No Brasil, desde 2006, temos em rigor a Lei Maria da Penha, um instrumento legal para punir a violência doméstica praticada contra mulheres, aumentando o rigor das punições. Mesmo com os nove anos de Lei, de acordo com a Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, a cada 100 mil mulheres no Brasil, 4,4 ainda são assassinadas.

Os números mostram que ainda há muita luta pela frente para a conquista plena de igualdade e respeito com as mulheres. Assim, o Secor visa assessorar todas as mulheres comerciárias em relação aos seus direitos, além de apoiar as lutas das mulheres em todo Brasil. Pensando nisso, em agosto, o Sindicato marcou presença na Marcha das Margaridas 2015, em Brasília, que contou a participação de mais de 30 mil mulheres de todo Brasil e com a presença da presidente Dilma Rousseff. O objetivo da Marcha é discutir políticas públicas para mulheres e assuntos gerais referentes aos trabalhadores do Brasil. Este ano, representantes do protesto afirmaram protestar contra o retrocesso do país, dos direitos dos trabalhadores e da democracia.

Além da Marcha das Margaridas, ainda neste mês, em 22/8, o Secor também marcou presença na II Conferência Municipal de Políticas para Mulheres em Carapicuíba. Com o tema “Mais direitos, participação e poder para as mulheres”, o evento visa fortalecer políticas públicas para as mulheres.

O movimento sindical deve estar sempre ao lado das mulheres buscando igualdade, conquista de direitos e autonomia! Como em qualquer luta, quando estamos juntos somos mais fortes!

José Pereira da Silva Neto, presidente do Sindicato dos Comerciários de Osasco e Região (Secor)

Fonte: Assessoria de Imprensa