Domingo, 20 de Setembro de 2020 -

Campanha nacional de combate ao racismo é lançada

Publicado em: 31/07/2014
Foto de Contracs

Foto de Contracs

No fim da tarde desta terça-feira (29), a CUT nacional lançou durante a 14ª Plenária Nacional a campanha nacional de combate ao racismo. Com o tema “Basta de racismo no trabalho e na vida”, a campanha foi lançada em parceria com a Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio e Serviços (Contracs), a Confederação Nacional de Municípios (CNM), a Confederação Nacional de Trabalhadores na Saúde (CNTS), a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Processamento de Dados Serviços de Seguranças e Similares (Fenadados), a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf) e a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE).

A campanha nacional de combate ao racismo tem como objetivo superar todas as formas de preconceitos e discriminação étnico-raciais, eliminar as desigualdades entre negros e brancos e promover uma sociedade mais justa para todos. O material base da campanha entregue a todos os dirigentes e presentes era composto por um jornal explicativo da campanha e ações do ramo e estado, um livro de políticas de igualdade racial e combate À discriminação, cartaz, folder e bolsa com o slogan Basta de Racismo.

Durante o lançamento da campanha, a secretária de combate ao racismo da CUT nacional, Maria Júlia Reis Nogueira afirmou que o racismo é fruto da história do Brasil e por esse motivo, as campanhas de combate à discriminação se fazem necessárias de forma permanente nas centrais e em todas as entidades. “A campanha Basta de Racismo deve ser feita diariamente em todos os estados e ramos. Ninguém pode ser discriminado por sua cor, crença, formação ou opinião. É preciso denunciar para que haja o fortalecimento da luta antirracista e para que os direitos humanos sejam garantidos”.

Segundo Maria Júlia, o maior problema não é participação de negros e negros na CUT e nas entidades a ela ligadas, mas a participação e ampliação de espaços em todos os segmentos da sociedade. “Precisamos fazer com que o combate ao racismo e a inclusão de companheiros negros e negras nos mais diversos cargos e ramos, não seja apenas uma política da direção e dos militantes, mas sim, uma política efetiva da classe trabalhadora”.

Para a secretária de política de promoção para igualdade racial da Contracs, Regina Teodoro, a campanha de combate ao racismo é uma ferramenta importantíssima para que os trabalhadores tenham consciência de que o preconceito ainda existe no ambiente de trabalho. “Convivemos com o racismo camuflado, no qual o trabalhador se omite em denunciar. Temos que incentivar todos os trabalhadores e trabalhadoras dos mais diversos ramos a denunciar essas opressões junto a CUT, a Contracs e as demais entidades”.

Segundo Regina Teodoro, os trabalhadores negros e negras precisam levantar a cabeça diante dos agressores e não se devem deixar oprimir. “Precisamos buscar uma sociedade mais justa e igualitária. Temos o direito de estar em igualdade nas relações de trabalho e não podemos deixar que nos discriminem”.

Fonte: Contracs – Lauany Rosa