Segunda-Feira, 18 de Janeiro de 2021 -

Comércio da Região Oeste vai contratar 7 mil temporários para o final de ano

Publicado em: 06/12/2011

thumb-70

O comércio varejista das cidades da região Oeste da Grande São Paulo deve ser responsável pela contratação de 7.000 funcionários temporários durante o período de aquecimento nas vendas de final de ano.  A estimativa é do Sindicato dos Empregados no Comércio de Osasco e Região (Secor), que representa cerca de 65 mil comerciários de Osasco, Barueri, Carapicuíba, Itapevi, Jandira, Taboão da Serra e Embu.

De acordo com o vice-presidente do sindicato, Luciano Leite, as contratações começam a partir deste mês e têm duração de 45 a 60 dias. “A maior parte das vagas é para vendedor, nas lojas de rua e nos shoppings da região. Normalmente, há um aumento de 1/3 na quantidade de funcionários nessa época do ano, com uma média de 3 vagas por loja. Somente nos oito shoppings da região, teremos uma média de 4.800 novos postos”, revelou.

Segundo o Secor, Barueri representa a maior praça de contratação na região, por conta, principalmente, do setor de distribuição que está presente na cidade. A previsão é de que sejam abertas 2.000 vagas temporárias, aproximadamente. Em seguida, aparece Osasco, com uma média projetada de 1.500 novas contratações.

É uma boa oportunidade para quem está desempregado e busca uma colocação no mercado de trabalho. Cerca de 40% dos empregados temporários devem ser efetivados em janeiro, é o que prevê o vice-presidente do sindicato. “Haverá uma troca de mão-de-obra, 40% será absorvida pelo mercado, mas 30% dos atuais funcionários devem sair. É uma compensação. As empresas preferem ter um quadro de funcionários novos”, explicou.

A Secor informa que todos os funcionários temporários devem ser contratados por prazo determinado, o que garante todos os direitos da CLT, como férias e 13° salário proporcionais. “A exceção são os direitos garantidos por estabilidade, como licença para gestantes e acidentados”, esclareceu Leite

Para sindicato, confrontos na Capital devem trazer mais clientes a Osasco.

O Sindicato dos Empregados no Comércio de Osasco e Região (Secor) prevê um crescimento de 12% nas vendas de final de ano, em comparação com o mesmo período de 2010. Para o vice-presidente, Luciano Leite, “Osasco e região ficam fora dos gráficos econômicos”, uma vez que “cresceram fora dos parâmetros do Brasil”.

Além dos fatores econômicos, Leite destaca a importância do Calçadão de Osasco no setor de comércio da região. “Temos o segundo maior fluxo de pessoas em pontos de venda de todo o país, atrás apenas da rua 25 de Março, na Capital”. Segundo o vice-presidente, a movimentação no Calçadão da rua Antônio Agú deve ser maior este ano. “Houve uma série de enfrentamentos entre a Prefeitura de São Paulo e os comerciantes, lojistas e camelôs da cidade. A tendência é que os clientes migrem para Osasco”, disse.

Dentre os principais setores que devem impulsionar a economia, entre novembro e dezembro, estão os de tecnologia, automóveis usados e materiais de construção. “Tudo o que está relacionado à tecnologia está na ponta das vendas. Já o setor de autos usados teve uma recuperação e crescimento, diferentemente do mesmo período do ano passado. E o setor de materiais de construção também terá alta. A população aproveita o 13° salário para mexer na casa”, explicou Leite.

Fonte: webdiario em 2/11

Postado por assessoria de imprensa/Raquel Duarte