Sexta-Feira, 15 de Janeiro de 2021 -

CUT/SP lança nova cartilha para fortalecer debate sobre diversidade no mundo do trabalho

Publicado em: 01/07/2016
A CUT é uma das entidades pioneiras no combate ao preconceito e em defesa dos trabalhadores LGBT - embate definido no estatuto da entidade e que criou, em 2008, o Coletivo Estadual dos Trabalhadores e Trabalhadoras LGBT, que reúne representantes de difere/ Foto: CUT

A CUT é uma das entidades pioneiras no combate ao preconceito e em defesa dos trabalhadores LGBT – embate definido no estatuto da entidade e que criou, em 2008, o Coletivo Estadual dos Trabalhadores e Trabalhadoras LGBT, que reúne representantes de difere/ Foto: CUT

A Central Única dos Trabalhadores de São Paulo (CUT/SP) lançou, na última terça (28), a 3ª edição da cartilha de formação que trata sobre a diversidade, o fortalecimento da luta por direitos e a construção da igualdade no mundo do trabalho.

O material, realizado pela Secretaria Estadual de Políticas Sociais e o Coletivo de Trabalhadores e Trabalhadoras LGBT da CUT/SP, foi lançado durante ato solene no Dia Internacional do Orgulho LGBT, na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), celebrado na terça. No evento, militantes e representantes de movimento sociais estiveram presentes para lembrar as conquistas e os caminhos que ainda precisam ser percorridos no combate à LGBTfobia.

A nova cartilha traz um conteúdo revisado e ampliado, pois, desde as edições anteriores (no período 2009-2012), houve um aprofundamento da temática na CUT, assim como uma maior visibilidade na sociedade. A atualização agrega novos conceitos, dá maior destaque aos direitos conquistados e traz orientações e informações para a organização dos trabalhadores e trabalhadoras LGBT.

Para a secretária de Políticas Sociais da CUT/SP, Kelly Domingos, a cartilha será um instrumento de formação e debate. “Além de colaborar no entendimento e nas definições de uma linguagem que respeita a diversidade, ela é provocativa, pois levanta demandas necessárias e urgentes para garantir que a população LGBT deixe de ser invisibilizada no mundo do trabalho”.

A CUT é uma das entidades pioneiras no combate ao preconceito e em defesa dos trabalhadores LGBT – embate definido no estatuto da entidade e que criou, em 2008, o Coletivo Estadual dos Trabalhadores e Trabalhadoras LGBT, que reúne representantes de diferentes ramos do movimento sindical para discutir ações e propostas que contemplem essa população no mundo do trabalho.

Coordenador do Coletivo e dirigente da Apeoesp, Walmir Siqueira ressalta que o material servirá de subsídio para as pessoas que atuam pelos direitos dos trabalhadores se apropriem das necessidades das pessoas LGBT. “Sabemos que ainda existe um caminho longo, dentro e fora do movimento sindical, na luta pelos direitos da população LGBT. E essa cartilha é uma forma para que a militância sindical tenha o conhecimento da gravidade do que é a LGBTfobia e a necessidade de ter uma ação de combate a isso”.

Para acessar a cartilha, as federações, sindicatos e subsedes precisam encaminhar mensagem para os e-mails sgeral@cutsp.org.br e polisociais@cutsp.org.br ou pelo telefone (11) 2108-9178. Também é possível baixar o material em PDF ao clicar aqui.

Fonte: CUT São Paulo