Quinta-Feira, 01 de Outubro de 2020 -

Câncer de Mama: alerta entre as mais jovens

Publicado em: 20/05/2009
Veja como deve ser feito o autoexame. Clique na imagem.

Veja como deve ser feito o autoexame

Segundo dados da Fundação Oncocentro de São Paulo (Fosp), que reúne informações de 63 hospitais especializados do Estado de São Paulo, da parcela de 602 casos de câncer de mama registrados no ano passado, de acordo com números notificados entre janeiro e julho, 35% foram em mulheres com menos de 50 anos. Em 2007, esta faixa etária correspondeu a 34,7%. Em 2006, 33,9%.

Especialistas fazem um alerta importante: uso de cigarros, bebidas alcoolicas, estresse e o sedentarismo são grandes vilões da saúde e fortes fatores de risco para o câncer de mama.

De acordo com estudos da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), meninas menores de 13 anos fumam mais do que os meninos de mesma idade. De acordo com o programa de vigilância de fatores de risco do Ministério da Saúde, mulheres são mais sedentárias do que os homens. A diferença chega a 10 pontos porcentuais.

Além disso, o uso indiscriminado do anticoncepcional também se torna um inimigo das mulheres, e é rotina na vida de muitas adolescentes. “As pessoas esquecem que os contraceptivos são medicamentos que precisam de orientação e acompanhamento médico, que podem causar reações adversas e não podem ser tomados sem supervisão”, alerta Mourão Netto, chefe da oncologia do Hospital A.C. Camargo.

É importante ressaltar que, ainda que as pílulas venham a evitar gravidez indesejada, não protege a mulher de contrair doenças sexualmente transmissíveis (DST), como aids.

Sintomas da doença
Os sintomas do câncer de mama palpável são os nódulos ou tumores no seio, acompanhados ou não de dor mamária. Podem surgir alterações na pele que recobre a mama, como abaulamentos ou retrações ou um aspecto semelhante a casca de uma laranja. Podem também surgir nódulos palpáveis na axila.

A importância do auto-exame
Apesar de sua importância, o auto-exame, como alerta o INCA (Instituto Nacional de Câncer), não substitui o exame clínico. Portanto, realize o auto-exame em casa e também visite regularmente seu médico para realizar os exames periódicos