Terça-Feira, 24 de Novembro de 2020 -

Cresce número de mulheres no 1º emprego

Publicado em: 16/03/2012

emprego

Em 2011, 1.410.110 mulheres ingressaram no mercado formal de trabalho pela primeira vez. O número de admissões por primeiro emprego neste período mostra expansão e força da mão de obra feminina, pois, em 2010, 1.322.300 tinham sido contratadas pela primeira vez, segundo dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho e Emprego. Já para os homens, o crescimento foi menor: 1,63 milhão em 2010 e 1,66 milhão em 2011.

O número de mulheres no mercado de trabalho tem crescido, conforme apontam os dados da Rais (Relação Anual de Informações Sociais) do MTE. Em 2002, o mercado contava com estoque de 11.418.562 mulheres formalmente empregadas; em 2011, passou para 19.206.197.

Embora a participação da mulher no mercado de trabalho formal tenha se ampliado, ainda é distante a igualdade salarial entre o sexo masculino. Segundo dados do Caged, no recorte por gênero, o aumento real do salário médio de admissão em 2011 foi de 2,33% para as mulheres, frente aos 3,79% obtidos pelos homens. O salário das mulheres ficou em R$ 829,54, sendo que o dos homens ficou na média de R$ 966,80.

Quanto à média salarial, as mulheres tinham remuneração média de R$ 1.553,44 em 2010 e de R$ 1.271,95 em 2002; os homens, de R$ 1.876,58 e R$ 1.544,71 respectivamente, segundo a Rais.

Região geográfica

Em 2010, a Rais mostrou que o Estado de São Paulo contava com o maior número de mão-de-obra feminina dentre as unidades da federação: 5.343.083 mulheres com vínculo formal de trabalho, dentre um universo formado por mais de 18 milhões de trabalhadoras em todo Pais. No Estado, 2.330.756 trabalhadoras estavam empregadas no setor de serviços; 1.074.239 no comércio; 992.360 na administração pública; 807.928 na indústria da transformação; 66.653 na agropecuária; 50.438 na construção civil; 18.743 em serviços industriais e de utilidade pública; e 1.966 na extrativa mineral.

A menor concentração de mulheres no mercado de trabalho ocorreu em Roraima, com 37.441 empregadas formalmente. A administração pública foi o setor com o maior número da força-feminina: 21.403; serviços 7.699 em serviços; 5.529 em comércio; 1.805 na construção civil; 522 na indústria da transformação; 322 em serviços industriais; 103 na agropecuária; e 8 na extrativa mineral.

Fonte: Mundo Sindical, com informações da Assessoria de Imprensa do MTE