Sexta-Feira, 22 de Janeiro de 2021 -

Exame rápido e consulta online são apostas no combate à dengue em SP

Publicado em: 07/04/2015
Foto: Tiago Queiroz/Estadão Conteúdo

Foto: Tiago Queiroz/Estadão Conteúdo

A tenda montada na Unidade Básica de Saúde do Jardim Vista Alegre, na região da Brasilândia, Zona Norte de São Paulo, começou a atender, nesta segunda-feira (06). Pacientes com dengue ou com suspeita da doença fizeram fila ao longo do dia.

O espaço é primeiro do tipo implantado. Outros dois estão previstos na Zona Norte, que concentra grande parte das ocorrências de dengue na cidade.

No espaço já em funcionamento, um equipamento permite que um profissional no Hospital Albert Einstein dê suporte online aos quatro médicos que atendem no local.

Ainda serão montadas tendas na AMA/UBS Vila Palmeiras, na Freguesia do Ó, e AMA/UBS Elísio Teixeira Leite, no Jaraguá. Segundo o SPTV, a previsão é que elas comecem a funcionar daqui a duas semanas. A expectativa é que as tendas atendam de 150 a 200 pacientes por dia.

Na tenda, atuam três médicos clínicos, um pediatra, quatro enfermeiros e cinco técnicos de enfermagem, todos do Hospital Albert Einstein. Além disso, há o serviço online que pode auxiliar os profissionais a distância, chamado de telemedicina.

Foi instalada no local uma das cinco máquinas de exames rápidos de sangue que começaram a funcionar nesta segunda-feira (6). Os aparelhos são conhecidos como “point of care” e informam em cinco minutos o número de plaquetas dos pacientes, mecanismo de defesa que atua, entre outras coisas, para evitar a perda de sangue.

As outras unidades foram instaladas nos prontos-socorros da Freguesia do Ó e de Santana e nas Unidades Básicas de Saúde Vila Palmeiras e Elísio Teixeira Leite, todas na Zona Norte.

A Secretaria Municipal de Saúde enfatiza que o exame rápido não identifica o vírus da dengue e sim a contagem de plaquetas do paciente.

A queda no número de plaquetas é um dos sintomas da dengue hemorrágica, um tipo de dengue grave, que pode levar à morte. Com o diagnóstico rápido da queda de plaquetas, o paciente pode ser submetido a um tratamento intensivo de forma mais rápida, sem esperar pelo exame laboratorial que confirma a dengue, que leva, em média, cinco dias para ficar pronto.

Alta incidência
O secretário-adjunto de saúde, Paulo Puccini, apresentou no dia 26 de março o balanço da situação da dengue até a décima semana epidemiológica do ano. No período de 4 de janeiro a 14 de março, 15.789 casos foram notificados e 4.436 foram confirmados autóctones (contraídos no município).

No mesmo período de 2014, a cidade teve 4.326 casos notificados e, destes, 1.412 autóctones confirmados. Cerca de 47,5% dos casos estão concentrados na Zona Norte de São Paulo. A cidade teve ainda duas mortes por dengue confirmadas pela Prefeitura. O governo do estado diz que são três mortes. Um novo balanço da secretaria municipal será divulgado na próxima quinta-feira (9).

Fonte: G1