Domingo, 25 de Outubro de 2020 -

Inflação nos últimos 12 meses é a maior desde 2005, diz IBGE

Publicado em: 06/09/2011

thumb-14

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial, subiu 0,37% em agosto, após alta de 0,16% em julho, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira (6). Nos últimos 12 meses, a inflação acumula alta de 7,23%, a maior taxa desde junho de 2005, e fica acima da meta do governo (que é de 6,5% para o ano).

O preço dos alimentos foi o principal responsável pela alta do índice em agosto. A carnes tiveram a maior elevação da categoria (subiu 1,84%).

Outra despesa que pressionou a inflação oficial no mês foram os gatos com aluguel residencial, que subiu pouco mais de 1%.

A alta dos eletrodomésticos (de -0,32% para 2,38%), com destaque para refrigerador (de -0,29% para 3,29%) e máquina de lavar (de -1,58% para 3,18%), influenciaram o resultado do grupo artigos de residência (de 0,03% para 0,57%).

Inflação preocupa governo
O combate à inflação se tornou um dos principais objetivos do governo. Para este ano, o centro da meta de inflação perseguido pelo Banco Central é de 4,5%.

A meta pode ter variação de dois pontos percentuais para cima ou para baixo, ou seja, a inflação poderia ir de 2,5% a 6,5%. O índice de 4,5% é chamado de centro, pois está bem no meio dos extremos.

A última vez em que a meta foi estourada foi em 2002, quando a inflação foi de 12,53% e o teto era de 5,5%. Em 2003 e 2004 a meta teve de ser ajustada para cima para evitar novos rompimentos.

No ano passado, a inflação foi de 5,91%, a maior registrada no país desde 2004.

O temor de uma forte alta nos preços em 2011 tem feito com que o governo tente controlar a inflação por meio da política monetária. Ou seja, subindo a taxa básica de juros, a Selic.

Ao elevar os juros, o objetivo é desestimular o consumo e, assim, evitar que os preços subam. Em junho, o Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central, decidiu elevar a taxa básica de juros (a Selic) em 0,25 ponto percentual, para 12,25% ao ano.

Com a nova elevação, a Selic atingiu seu maior nível desde janeiro de 2009, quando era de 12,75%.

Índices
O IPCA refere-se às famílias com rendimento mensal de 1 a 40 salários mínimos e abrange nove regiões metropolitanas do país (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Salvador, Recife, Fortaleza e Belém), além do município de Goiânia e do Distrito Federal.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que mede a inflação de famílias com renda de até seis salários mínimos, variou acima do IPCA: 0,22% em junho. No entanto, a taxa é inferior à registrada em maio, que foi 0,57%. O INPC acumula inflação de 3,7% no ano e de 6,8% nos últimos 12 meses.(Uol com informações da Reuters).

Postado por Raquel Duarte