Terça-Feira, 20 de Outubro de 2020 -

Maior expectativa de vida reduz aposentadora, aponta pesquisa do IBGE

Publicado em: 04/12/2013
Divulgação

Divulgação

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou, nesta segunda-feira,2, a tábua IBGE-2012, pela qual há um aumento médio de 144 dias na expectativa de vida para trabalhadores que hoje têm entre 40 e 80 anos de idade. O resultado indica uma perda média de 1,67% no valor da aposentadoria por tempo de trabalho, solicitada a partir de hoje (02 de dezembro), em relação ao benefício solicitado até novembro passado.

No acumulado desde 1999 – quando foi adotado o fator previdenciário – a perda no valor da aposentadoria soma 16,1% para homens e 14,4%, para as mulheres. Considera-se homem com 55 anos de idade e 35 anos de tempo de contribuição e mulher de 50 anos e 30 anos de tempo de contribuição. Os cálculos são da Conde Consultoria Atuarial.

A tábua de mortalidade do IBGE é divulgada anualmente e contém as expectativas de vida que serão usadas pela Previdência Social para cálculo do fator previdenciário e, como resultado disso, do valor inicial das aposentadorias. A tabela divulgada será aplicada a partir desta segunda-feira (2), até 30 de novembro de 2014.

Surpresa – Newton Conde, sócio da Conde Consultoria, diz que o aumento médio de 144 dias na expectativa de vida este ano surpreendeu. Nos anos anteriores, a elevação média era de 40 dias.

Com o aumento da expectativa de vida, a aposentadoria concedida a partir de hoje terá redução média de 1,67% em relação ao valor do benefício solicitado no mês passado.

Nesse caso, segundo Conde, o trabalhador deve contribuir por mais alguns meses e solicitar a aposentadoria em abril de 2014. Com isso, conseguirá voltar ao nível de benefício que teria em novembro deste ano. “O problema é quando se olha o efeito das tábuas no longo prazo ou para quem vai se aposentar daqui a quatro ou cinco anos.”

Fonte: CUT Nacional – com informações da Agência Valor