Domingo, 27 de Setembro de 2020 -

Ministério lembrará trabalhador sobre abono salarial

Publicado em: 14/12/2010

 

A fim de lembrar trabalhadores e empregadores sobre o pagamento do Abono Salarial, o MTE (Ministério do Trabalho e Emprego) vai encaminhar 1,3 milhão de cartas a trabalhadores que não sacaram o benefício informando sobre a disponibilidade do valor de um salário mínimo (R$ 510).

Com o aval do ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, as correspondências fazem parte de um programa de comunicação iniciado em 2007 para que os trabalhadores não deixem de receber o benefício. “O Ministério do Trabalho e Emprego considera que direito é direito e dele você não pode abrir mão. E é nosso dever informar que esse direito é todo seu. Você tem até o dia 30 de junho de 2011 para receber o seu dinheiro, mas não precisa esperar: Você pode receber agora!”, informa a carta ao trabalhador.

As correspondências encaminhadas aos empregadores solicitam que os mesmos avisem os trabalhadores sobre o direito de receber o Abono Salarial. “Solicitamos-lhe avisá-los que o prazo para receber o dinheiro é até 30 de junho de 2011, mas não precisam esperar: Podem receber agora!”.

Beneficiários – Têm direito ao beneficio os trabalhadores que receberam, em média, até dois salários mínimos mensais e tenham trabalhado pelo menos 30 dias em 2009 com Carteira de Trabalho assinada por empresa contribuinte do PIS-PASEP.

Para receber, basta que o trabalhador se dirija a uma agência da Caixa Econômica Federal, se for inscrito no PIS, ou Banco do Brasil, se for inscrito no PASEP, e levar os seguintes documentos:  carteira de identidade e Carteira de Trabalho. Caso o trabalhador tenha o Cartão do Cidadão, com senha cadastrada, pode sacar seu dinheiro em qualquer lotérica, Caixa Aqui ou terminal de atendimento da Caixa.

Os trabalhadores que se enquadram nos critérios de concessão não dependem da carta de aviso para realizar o saque. O documento servirá para lembrar sobre o calendário de pagamento.

Fonte: ABCD Maior

Postado por Assessoria de Imprensa/Raquel Duarte