Quarta-Feira, 30 de Setembro de 2020 -

Na semana do trabalho, Secor e sindicatos da região realizam Tribuna Livre no centro de Osasco

Publicado em: 04/05/2015
Assessoria/Secor

Assessoria/Secor

Uma Tribuna Livre marcada por depoimentos em apoio ao trabalhador e contra a precarização do trabalho marcou o 1º de Maio, Dia do Trabalho, dos trabalhadores de Osasco e Região, que passavam pelo calçadão de Osasco, localizado na Rua Antonio Agu.

No dia 30/4, o Secor e sindicatos de toda a região realizaram um grande ato no centro da cidade para falar com os trabalhadores sobre a luta do movimento sindical contra o Projeto de Lei 4330, que amplia a terceirização par atividades-fim das empresas e traz a precarização do trabalho, além de prestar uma homenagem a todos trabalhadores por seu dia.

“Um 1º de maio de luta e de participação dos trabalhadores é o que nosso Sindicato queria trazer para nossa cidade nessa data tão significativa. Passamos por um momento delicado, pois o PL em questão traz uma série de malefícios para o trabalhador, como a destruição da representatividade dos sindicatos; baixos salários; descumprimento de leis trabalhistas; entre muitos outros malefícios. É nossa obrigação mostrar isso ao trabalhador e lutar contra o Projeto! No entanto, mais do que isso, nosso objetivo com a Tribuna Livre era também homenagear o trabalhador e abrir espaço para ele ser ouvido”, completou o presidente do Secor, José Pereira da Silva Neto.

Para o advogado do Secor, Maximiliano Garcez, o PL traz uma reforma política contra os trabalhadores. “A classe trabalhadora conseguiu, nos últimos 12 anos, ajudar a mudar o país. Permitiu que os trabalhadores tenham mais acesso a educação e a bons empregos. Mas querem acabar com isso! Através da aprovação do PL 4330, querem acabar com a representação do movimento sindical, pois, pelo Projeto, o empregador escolhe qual sindicato irá lhe representar. Então, se temos um sindicato combativo, que faz greve e se mobiliza, o empresário contrata uma empresa terceirizada que tem outro sindicato e desmobiliza toda a luta da classe trabalhadora. É uma reforma política contra a classe trabalhadora”, afirmou o advogado.

Por sua vez, o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Comércio e Serviços (Contracs), Alci Matos, pediu mobilização da sociedade na luta pelos direitos trabalhistas. “Junto com esta comissão que está hoje na Tribuna, vamos refletir sobre o PL 4330! Estamos acompanhando ele desde 2008, quando foi protocolado na Câmara dos Deputados por um empresário Goiás chamado Sandro Mabel. Ele perdeu seu mandato, mas deixou lá a tristeza da origem deste PL e que outros deputados, empregadores e empresários, seguiram. Pedimos a sociedade para estar conosco nessa luta porque amanhã pode ter dentro de uma loja um grupo de 10 ou 15 trabalhadores gerenciadas por uma empresa terceirizada para tomar conta dos trabalhadores e não pagar comissão, mas um salário menor do que eles ganham hoje”, disse o presidente.

Outros sindicalistas e representantes do movimento sindical também estiveram presentes na Tribuna Livre, como Jorge Nazareno, do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e região (Sindmetal); Jessé de Castro Moraes, do Sindicato dos Servidores de Osasco e Região (Sintrasp); Valdir Fernandes (o Tafarel), da CUT Osasco; José Elias de Góis, do Conselho Intersindical de Saúde e Seguridade Social de Osasco e Região (Cissor); Carlos Aparício Clemente, do Espaço da Cidadania; Eliezer de Sousa, presidente da Associação Brasileira dos Expostos ao Amianto (Abrea); e a secretária do Trabalho de Osasco, Mônica Veloso.

Além de depoimentos dos sindicalistas, os trabalhadores tiveram acesso à cultura brasileira com a dança e o batuque dos meninos da Associação Eremim e a música da cantora e tecladista Paulinha dos Teclados.

Clique aqui para ver mais imagens do evento!

Fonte: Assessoria de Imprensa