Domingo, 27 de Setembro de 2020 -

Secor completa 43 anos de luta!

Publicado em: 29/05/2019

Nessa quarta-feira, dia 29 de maio, o Secor completa 43 anos de história e trabalho pelos comerciários da base.

Já são mais de quatro décadas que o Secor vem buscando a valorização e o crescimento da categoria, fiscalizando lojas para garantir que os direitos trabalhistas sejam cumpridos e lutando, em todas as Campanhas Salarias, para que os comerciários tenham ganhos reais anualmente. O Secor está atento às demandas da categoria e tem como combustível para continuar lutando a força e a união da família comerciária.

Conheça a história do Secor

A história do Sindicato se desenrolou ao lado da história de Osasco, mas confira um breve recorte sobre as ações do Secor a partir da década de 1970, quando ainda era a Associação Profissional dos Empregados no Comércio de Osasco (APECO). Na época, a entidade ainda atendia em uma pequena sala da rua João Batista, no centro de Osasco. O Secor foi fundado como fruto do esforço dos comerciários da região, em 1976. O primeiro presidente a atuar no sindicado foi Inácio Santamaría Garcia.

Devido ao regime militar vivenciado na época e ao pouco recurso financeiro, a atuação era restrita ao assistencialismo aos trabalhadores e às questões relacionadas ao esporte. A proposta para a categoria era a construção de um centro esportivo na região, além do fechamento do comércio aos sábados após as 13h.

Na década seguinte, a luta era pelo fechamento do comércio aos domingos, além da fiscalização em relação ao excesso de horas trabalhadas pelo comerciário. O presidente que havia assumido a frente do sindicato na época, João Ubijara Neves Martins, mais conhecido como Bira, possibilitou a abertura de mais espaço na Diretoria, permitindo a entrada de novos companheiros que atuavam em organizações locais de trabalho, como Paulo Cunha, Gildeson Cardoso de Santana e nosso atual presidente, José Pereira da Silva Neto.

O Secor passou a participar de lutas gerais da classe trabalhadora, grandes greves e do movimento social organizado na região. Em 1990, o sindicato ampliou sua representação e passou a atender também Carapicuíba, Itapevi, Jandira, Taboão da Serra e Embu.

O presidente Neto assumiu o cargo entre 1991 e 1995, sendo seu braço direito o secretário-geral Irineu dos Santos de Souza. Na eleição seguinte, ambos disputaram a presidência. A Chapa Um, de Neto, foi eleita com 70% de votos válidos. Em agosto de 2018, com a participação de 9.935 comerciários nas eleições do Secor, a Chapa 1 – Unidade Comerciária, também presidida por Neto, venceu com 70% dos votos válidos, renovando a Diretoria, Conselho Fiscal e Delegação Federativa.

A mobilização dos trabalhadores se viu mais presente quando grandes grupos econômicos chegaram ao Brasil. Com a lógica de flexibilização de direitos que não se aplicava para trabalhadores nacionais, se fizeram constantes as paralisações nas lojas Walmart, Carrefour, C&A, Pão de Açúcar, Besni e Memphis, por exemplo.

Lutando por melhores condições de vida para os comerciários, ampliando seus direitos e benefícios, expandimos nossa representatividade ao nos filiarmos a Central Única dos Trabalhadores (CUT). Além disso, participamos de atividades no âmbito nacional e internacional através da Confederação Nacional de Trabalhadores no Comércio e Serviços (CONTRACS). Hoje, formamos uma marca Secor, respeitada nesses espaços.

Desde sua fundação, a militância do sindicato participa das comemorações políticas e históricas em âmbito local, regional e nacional, como o Dia do Trabalhador (1º de maio), Dia Internacional da Mulher (8 de março) e Dia da Consciência Negra (30 de outubro).

Em meio a lutas e vitórias, o Secor e nossa categoria comemorou um grande passo na conquista de mais direitos. Em 14 de abril de 2013, a presidenta Dilma Rousseff sancionou a Lei 12.790/13 que regulamenta a profissão do comerciário. Entre muitos outros direitos, a lei assegura ao trabalhador a obrigatoriedade de especificação da profissão na carteira de Trabalho e Previdência Social e determina jornada de 8 horas diárias e 44 semanais. Além disso, 30 de outubro foi instituído como Dia do Comerciário.

Continuamos lutando e trabalhando por políticas que gerem empregos de qualidade para os comerciários, além de garantias sociais para toda a classe trabalhadora.