Sexta-Feira, 18 de Setembro de 2020 -

Secor reúne sindicalistas e advogados para discutir o processo de impeachment e democracia

Publicado em: 28/04/2016

thumb-25

Nesta segunda-feira, 25/4, o Secor realizou uma mesa-redonda durante seu programa TV Secor, quando os entrevistados abordaram o tema “Sem democracia não há cidadania”, colocando em debate o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff e a ameaça aos direitos trabalhistas e sociais caso o impeachment seja aprovado.

Para tanto, o presidente do Secor, José Pereira da Silva Neto, fez parte do debate ao lado de Jorge Nazareno, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região; José Elias de Gois, presidente do CISSOR (Conselho Intersindical de Saúde e Seguridade Social de Osasco e Região); Luiz Arraes, presidente da Fepospetro (Federação dos Empregados em Postos de Combustíveis do Estado); Rafael Paes, presidente do SCVOR (Sindicato do Comércio Varejista de Osasco e Região); e os advogados Maximiliano Garcez e Felipe Vasconcellos, da Advocacia Garcez.

Dando início ao debate, o presidente Neto afirmou que o Brasil passa por um golpe programado. “O que estamos vivendo no Brasil é um golpe de estado programado, que nasceu na vice-presidência da República com Michel Temer, com apoio de seu companheiro Eduardo Cunha, este que não tem moral nem ética para presidir a Câmara dos Deputados devido a diversas acusações de corrupção, mas que coordena um bloco de direita em nosso país. Não é de hoje que a raposa está fazendo estripulias no Congresso. A presidente Dilma não foi aceita pela elite do país quando foi eleita com mais de 54 milhões de votos e, de lá para cá, o patronal do país, principalmente a indústria, está fazendo o que for preciso para tirá-la do poder”, afirmou Neto.

Os demais convidados, em síntese, concordaram que um golpe para retirar a presidente de seu cargo está acontecendo no país, com exceção de Rafael Paes, do SCVOR, e ainda falaram sobre as ameaças aos direitos trabalhistas.

Por fim, o presidente Neto deixou seu recado para os trabalhadores. “A democracia custou muito caro para nosso país. Muitos pagaram com a própria vida. Por isso, não podemos deixar que aconteça nada que quebre esse estado democrático”, completou.

O programa na íntegra está disponível no canal do YouTube do Sindicato “Canal Secor”. Para assistir ao vivo os próximos programas, acesse o site do Secor (www.secor.org.br), site da TV Osasco, ou canal 6 da NET ou 3 da Cabonnet.

Veja o vídeo na íntegra -> https://www.youtube.com/watch?v=lXWZT17BQus

Fonte: Assessoria de Imprensa