Segunda-Feira, 25 de Janeiro de 2021 -

TV Secor debate discriminação racial no ambiente de trabalho

Publicado em: 31/07/2012
Divulgação

Divulgação

O presidente do Instituto Sindical Interamericano pala Igualdade Racial, Ramatis Jacino foi o entrevistado do programa TV Secor desta segunda-feira, 30/6 que contou com a participação do vice-presidente do sindicato,  Luciano Pereira Leite.

O programa começou com uma reportagem especial sobre a inauguração do Salão Secor – Beleza, Estética e Saúde, em que o presidente Neto e diretores do sindicato deram seus depoimentos sobre os benefícios que o espaço tem a oferecer aos trabalhadores. Além de manicure, pedicure, depilação e cortes modernos, o salão também oferece tratamentos químicos para os cabelos, como escovas progressivas e tinturas. Serviços voltados para a pele também serão realizados pelos profissionais. Para tratamentos faciais, os clientes poderão contar com limpeza de pele, peeling de diamante e nutrição anti-idade. Já para o corpo, drenagem linfática, massagens para redução de gordura localizada e combate à celulite serão proporcionados. O salão atende sócios e público geral.

Em seguida, o bate-papo com Jacino começou abordando a história e as funções da INSPIR. Entidade criada em 1995, sua missão é combater o preconceito racial com ética e visão humana e social para a construção de uma sociedade mais desenvolvida. As entidades que compõem a INSPIR são a CUT (Central Única dos Trabalhadores), Força Sindical, UGT (União Geral dos Trabalhadores), American Federation of Labor Congress of Industrial Organizations (AFL-CIO) e Confederación Sindical de Trabajadores y Trabajadoras de las Américas.

De acordo com Jacino, a luta contra a discriminação no Brasil já obteve avanços significativos, como a conquista de Joaquim Barbosa, primeiro negro a ser Ministro do Supremo Tribunal Federal do Brasil. “Mesmo com nossa evolução, há ainda muito a ser feito. A discriminação sofrida pelo negro no trabalho é muito grande, isso é visto pela remuneração diferenciada que recebe. A mulher negra ainda é a pessoa que mais sofre em nossa sociedade”, completa o presidente.

Em relação às cotas raciais nas universidades e, se aprovada, em concursos públicos, Jacino diz encará-las como uma forma de reparação ao que foi causado aos negros na história do país. “Homens e mulheres negras trabalharam 350 anos no Brasil para construir sua riqueza. Foram os primeiros trabalhadores do país. Com a escravidão e, posteriormente, o processo de branqueamento da população, fizeram com que os negros sofressem exclusão perante todos os patamares da sociedade. A lei de cotas é uma reparação a toda exclusão que sofreram”, defende o presidente.

Jacino e Luciano Pereira Leite ainda defenderam a punição de pessoas que manifestem racismo, como a atleta grega, Voula Papachristou, expulsa pelo Comitê Olímpico da Grécia por comentários racistas feitos pela rede social Twitter. “Acredito que toda a manifestação racista de qualquer pessoa deve ser punida com rigor porque causa marcas profundas nas pessoas. A expulsão da atleta foi correta”, afirma Rodrigues.

Não perca o próximo TV Secor! Sempre com notícias interessantes para você, trabalhador!

Acompanhe e participe ao vivo do programa TV Secor todas às segundas-feiras, às 9h15, no site http://tvosasco.ning.com/ ou no canal 6 da NET. Para assistir aos programas anteriores clique no botão TV Secor na home do nosso site.

Fonte: Thaís Peixoto