Sábado, 26 de Setembro de 2020 -

Vagner Freitas:

Publicado em: 10/04/2014
Foto: Roberto Parizotti

Foto: Roberto Parizotti

O presidente nacional CUT, Vagner Freitas, disse que a manifestação desta quarta-feira (9), em são Paulo, em defesa da pauta da classe trabalhadora foi um exemplo de mobilização, organização e respeito à democracia para todo o Brasil. O dirigente parabenizou a militância da Central Única dos Trabalhadores pelo tamanho e importância que garantiram à 8ª Marcha da Classe Trabalhadora. Destacou que os trabalhadores e trabalhadoras cutistas e das demais centrais foram às ruas de cara limpa, de forma pacífica e ordeira lutar por seus direitos.

Vagner Freitas destacou que durante quase cinco horas de marcha – que começou às 9h, na Praça da Sé, e foi até quase 14h, na avenida Paulista -, não houve nenhum incidente, nenhuma briga ou problema relativo à segurança registrado entre os manifestantes (leia as demais reportagens sobre a manifestação no site) e no percurso da manifestação.

Para ele, a marcha desta quarta-feira, em São Paulo, é o tipo de manifestação boa para o Brasil porque “ela coloca a disputa de classes entre o capital e o trabalho, mas respeita a democracia.”

Segundo o presidente da Central, a militância da CUT foi expressiva maioria entre os milhares de trabalhadores e trabalhadoras que participaram de toda a manifestação, desde a Sé até o seu final, na avenida Paulista.

“E essa militância que ajudou a mudar o Brasil, que foi decisiva na construção da democracia, do novo sindicalismo. E essa militância que vem defender os seus direitos e a sua pauta de reivindicações. Essa militância que atendeu ao chamado da CUT e dos sindicatos cutistas”, disse. “Os maiores, mais importantes e mais bem organizados Sindicatos do Brasil são da CUT”, completou Vagner.

“Foi uma manifestação ordeira e com ela, mais uma vez, vez o movimento sindical brasileiro comprova que é possível fazer atos, protestos e manifestações de massa sem depredação”, disse Vagner Freitas, e prosseguiu: “Viemos todos de cara limpa. Na nossa manifestação, não tinha máscaras, pois viemos somente com vontade de mudar. Não houve agressão contra ninguém, nenhum jornalista foi agredido, respeitamos o direito da imprensa fazer seu trabalho livremente porque isso é uma conquista da democracia que também foi feita pela CUT. Não viramos carros, não invadimos nem depredamos lojas nem quebramos nada”.

Fonte: CUT Nacional – Vanilda Oliveira