Sábado, 17 de Abril de 2021 -

Aliança Sindical Global realiza manifestação em frente ao Walmart do Pacaembu

Publicado em: 01/09/2014
Contracs

Contracs

Na manhã desta quinta-feira, dia 28, a Aliança Sindical Global organizada pela UNI Global reuniu dirigentes sindicais de seis países em frente ao Walmart do bairro do Pacaembú, em São Paulo, durante manifestação contra as práticas abusivas da rede para com seus trabalhadores. Representantes sindicais do Brasil, Argentina, Chile, Estados Unidos, África do Sul e Malauí denunciaram os descumprimentos de leis trabalhistas e a precarização do trabalho realizado pelo gigante do atacado e varejo mundial.

A Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio e Serviços da CUT (Contracs/CUT) participou da manifestação que contou com a presença de representantes da UNI, integrantes da Aliança Sindical Global, além de sindicatos do comércio de São Paulo e das centrais sindicais CUT, UGT e Força Sindical. Durante a manifestação, o descumprimento de acordos coletivos, os baixos salários, o assédio moral sofrido pelos trabalhares e trabalhadoras, a falta de segurança, de plano de carreira e de banco de horas, carga de horário excessiva, trabalho aos domingos, além do não cumprimento dos acordos trabalhistas foram denunciados.

Os dirigentes sindicais dos seis países se dividiram durante as duas horas de manifestação para elencar os principais problemas enfrentados em cada país. Eles ressaltaram que o objetivo da Aliança Sindical Global é a luta pelos direitos dos trabalhadores. “Precisamos garantir uma legislação trabalhista efetiva, salário e condições dignas de trabalho”, enfatizou José Luis Oberto, presidente da UNI Américas Comércio.

A secretária de Relações Internacionais da Contracs, Lucinele Binsfeld ressaltou que o Walmart prefere pagar multa do que cumprir os direitos trabalhistas. “A luta não é só dos trabalhadores brasileiros é de todos. Por isso, vamos lutar pelo fim da ditadura trabalhista do Walmart”.

A manifestação, faz parte de uma série de ações organizadas pela Aliança Sindical Global contra a rede. Durante toda a semana, os dirigentes sindicais dos seis países têm se reunido para organizar e viabilizar plataformas de combate ao trabalho abusivo praticado pelo Walmart.

Fonte: Lauany Rosa/Contracs

LEIA TAMBÉM