Segunda-Feira, 29 de Novembro de 2021 -

Contracs realiza plenária estatutária e aprova debate da paridade para 2017 e implementação no 10o Congresso

Publicado em: 25/03/2015
Assessoria/Secor

Assessoria/Secor

A 2ª plenária da Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio e Serviços (Contracs), aprovou nesta terça-feira (24) a inclusão do debate da paridade de gênero na plenária nacional seguinte, que acontecerá em 2017. Com isso, ficou estabelecido o compromisso de que a partir do 10º Congresso Nacional da Confederação, em 2018, os cargos nas instâncias decisórias da Contracs serão dividido igualmente entre homens e mulheres. Atualmente, o estatuto prevê 30% das vagas para mulheres.

Para a secretária de Mulheres da Contracs, Mara Feltes, a aprovação é fazer jus ao fato de que o setor de comércio e serviços tem uma proporção maior de mulheres do que os 30% garantidos a elas na executiva.

“Esse debate vai impulsionar as mulheres para que elas participem mais dos debates e da ação sindical. Se analisarmos o quadro atual, onde nós aumentaremos a sindicalização? Nas mulheres e na juventude. Apostar em uma política de integração das mulheres no movimento sindical significa um crescimento do ramo e um fortalecimento da CUT, para que as trabalhadoras e os trabalhadores sejam beneficiados”, afirma a secretária.

Mara ressalta a importância da medida ser aprovada apenas para o congresso seguinte ao que será realizado no próximo dia 25, em Guarapari, Espírito Santo. “Não queremos aprovar por decreto, queremos convencer da importância da medida, e para isso é preciso debater exaustivamente. A CUT fez exatamente isso. Com isso nós temos um tempo para implementar e debater nas bases e para montar a paridade”, destaca.

A delegação da Contracs nesta 2ª Plenária é composta de 548 delegados e delegadas de 18 estados, dos quais 36% são mulheres. “Não houve preparação para aprovar nesta plenária apenas por não ter tido debate o suficiente nas bases. A própria delegação desta 2ª plenária tem apenas 36% de mulheres”, afirma Mara, ressaltando que a Confederação iniciará um processo de diálogo e conscientização ainda mais contundente nas bases de comércio e serviços.

Outras medidas

No total, foram aprovadas 23 emendas, entre as quais a ampliação do tempo de mandato para 4 anos e a criação da Secretaria de Administração e Finanças Adjunta. Em relação às regionais, a Plenária alterou o estatuto aprovando que os coordenadores serão eleitos em plenárias regionais realizadas durante o Congresso e eleitos com a direção nacional. Antes, os coordenadores deviam ser eleitos antes do Congresso.

Sobre a ampliação do mandato, o presidente da Contracs Alci Matos Araujo afirmou que a Contracs sempre seguiu a logística da CUT de um mandato de três anos. “Nós queremos ter um mandato maior, de um ano a mais, para ter uma atribuiçaõ maior da direção. Neste sentido, a gente ganha em mais planejamento e mais desenvolvimento para os nossos trabalhadores do ramo do comércio e serviços.”

Além disso, Alci destacou que entre as outras emendas aprovadas, alguns pontos precisavam ser mudados há muito tempo. “A reforma estatutária pode ser feita a qualquer tempo desde que a estatutária tem estes aspectos, mas precisava fazer uns ajustes a algum tempo. E é isso que a gente tem feito portanto as premissas de participação, a capacidade de composição, a questao de mandato e toda esta questão de representação que está se mudando na plenária estatutária.” finalizou.

Fonte: CUT Nacional/Henri Chevalier e Contracs/Adriana Franco

LEIA TAMBÉM

71,4% dos 8,9 milhões que perderam emprego na pandemia eram negros, diz Dieese

Para os não negros, os impactos da crise sanitária foram menores: dos 2,5 [...]
LEIA MAIS