Quarta-Feira, 14 de Abril de 2021 -

Especialistas mostram que PL 4330 desregulamenta relações de trabalho

Publicado em: 17/09/2013
Divulgação

Divulgação

A advogada trabalhista e mestre em Direito do Trabalho pela PUC/SP, Elaine D´Ávila Coelho, e a economista e doutorando do IE/Unicamp e assessora sindical Marilane Oliveira Teixeira divulgaram estudo sob o título “Que tempos são estes, em que é necessário defender o óbvio?”, onde mostram que o Projeto de Lei 4330/2004, do deputado Sandro Mabel (PMDB-GO), fere os direitos trabalhistas, incorpora todas as formas de precarização do trabalho e se constitui numa receita de desregulamentar as relações de trabalho.

Clique aqui para ler o estudo.

As duas especialistas apontam que a proposta do deputado e apoiada pelos empresários viola o direito à organização sindical e negociação coletiva, a isonomia de salários e a promoção de igualdade de tratamento.

“Na maioria dos casos, a terceirização constituiu-se em uma forma de
desregulamentação das relações de trabalho, ao permitir um rebaixamento nos salários, nas condições de trabalho, na segurança do trabalho, ao ampliar a liberdade da empresa na determinação das condições de contratação e remuneração do trabalho, além de promover uma segmentação da representação sindical”, observam.

“Consideramos que o PL 4330 é inaceitável por incorporar todas as formas de precarização do trabalho, aprofundando as desigualdades e a discriminação entre os trabalhadores. As conquistas desses últimos anos como a redução da pobreza e da desigualdade e a ampliação do número de trabalhadores que passaram a ter acesso a um conjunto de direitos através da formalização de seus vínculos de emprego não podem ser solapadas por uma prática precarizadora das relações de trabalho e fragmentadora da organização dos trabalhadores”, destacam.

Fonte: CUT Nacional

LEIA TAMBÉM

Saiba mais sobre a parceria do Secor com a Acolher & Viver - Psicologia!

Apoio psicossocial para crianças, adolescentes, adultos e idosos. [...]
LEIA MAIS