Domingo, 18 de Abril de 2021 -

Secor aguarda contraproposta da Totaltec na porta da empresa

Publicado em: 09/01/2014
Divulgação

Divulgação

Nesta quinta-feira, 9/1, o Secor está na porta da Totaltec realizando um ato reivindicatório com o carro de som e aguardando contraproposta da empresa em relação a pauta de reivindicações entregue pelo Secor e trabalhadores. Os funcionários demitidos pela empresa, que ainda não tiveram as verbas rescisórias pagas, também estão presentes.

O Secor luta pelos direitos dos trabalhadores da empresa desde o final de 2013, quando realizaram paralisação e manifestações em frente ao local. No dia 7/1, última terça-feira, o Sindicato e ex-funcionários foram recebidos por um dos sócios da Totaltec, Genivaldo Gonçalves Silva, o Gil. Durante o diálogo, o proprietário solicitou prazo de dois dias para formular uma proposta e apresentar aos trabalhadores.

Durante a manifestação dessa manhã, outro proprietário da empresa, identificado como Maurício, se recusou a receber a imprensa e afirmou que estaria em reunião com contador e advogado da empresa para formular a proposta que deve ser apresentada ainda hoje.

No dia 19/12/13, os trabalhadores aprovaram em Assembleia uma pauta de reivindicações entregue para a empresa que contava com os seguintes itens: inclusão imediata no plano de saúde atual ou em outro conveniado nas mesmas condições de prestação de serviço anterior de todos trabalhadores (em específico de gestantes, portadores de doença ocupacional e de afastados pelo INSS por doença grave); pagamento imediato de todas as verbas rescisórias dos empregados demitidos em 1/11/13 com aviso prévio trabalhado até 29/11/13; reintegração imediata dos trabalhadores com estabilidade.

Presente no ato desta manhã, uma das funcionárias demitidas, Vanessa Pereira, está grávida e afirma que a principal preocupação no momento é em relação ao plano médico. “Eu estava em período de estabilidade por ser gestante, mas mesmo assim fui demitida. Minha maior preocupação é com o convênio médico, pois já tinha feito uma programação para o parto e    tive que mudar tudo de última hora. Além disso, estou pagando um novo convênio, mas não recebo salário. Está bem complicado”, afirma.

O Secor aguarda resposta da empresa ainda hoje. Caso os trabalhadores não aceitem contraproposta ou a Totaltec não se manifeste, o Sindicato organizará a paralisação dos funcionários amanhã, em 10/1.

Fonte: Assessoria de Imprensa

LEIA TAMBÉM