Segunda-Feira, 30 de Novembro de 2020 -

Desemprego entre jovens é o maior desde agosto de 2009

Publicado em: 24/07/2015
Divulgação

Divulgação

A piora do mercado de trabalho tem afetado mais fortemente os mais jovens. Segundo dados divulgados nesta quinta-feira pelo IBGE, a taxa de desemprego da população entre 18 e 24 anos avançou para 17,1% em junho, após ter ficado em 12,3% no mesmo mês do ano passado. É a maior taxa para essa faixa etária desde agosto de 2009, quando chegou a 17,4%. Naquela época, a economia ainda se ressentia dos efeitos da crise econômica global.

Tradicionalmente, a desocupação entre os mais jovens é mais elevada que a média. No entanto, o IBGE destacou a forte alta registrada na comparação com o ano passado. O avanço de 4,8 pontos percentuais frente a junho do ano passado foi o maior entre as três principais faixas etárias acompanhadas pelo instituto. No grupo entre 25 a 49 anos, a taxa passou de 3,6% para 5,8% (diferença de 2,2 pontos percentuais) e, entre os com 50 anos ou mais, foi de 2% para 2,9% (alta de 0,9 ponto percentual). Na média, a taxa passou de 4,8% para 6,9% (diferença de 2,1 pontos percentuais).

Uma possível explicação para o aumento do desemprego entre os mais jovens é a queda da renda, que pressiona os jovens a procurar vagas para ajudar no orçamento doméstico.

— Vemos uma maior necessidade da população jovem ingressar no mercado de trabalho, seja porque o rendimento familiar precisa de ajuda ou o processo de qualificação foi concluído e ele parte para o mercado de trabalho. O que temos de concreto é que observamos pessoas de 18 a 24 anos pressionando muito mais o mercado de trabalho do que há um ano atrás — destaca Adriana Beringuy, técnica do IBGE responsável pela pesquisa.

De acordo com a Pesquisa Mensal de Emprego (PME), a taxa de 6,9% registrada no mês passado foi a maior para junho desde 2010. O IBGE informou ainda que o rendimento médio real do trabalhador caiu 2,9% na comparação com o mesmo mês do ano passado, para R$ 2.149.

Fonte: O Globo